” Em Pé Pela Vida “
Screenshot_20191205-211429_1

Alfredo Rodrigo da Silva Camargo 36 anos (24/01/1983) Brasileiro
Catarinense da Colônia Santana (Grande Florianópolis).
Profissão coordenador de montagens, serralheria, e tantas outras coisas ao longo de minha trajetória.
Solteiro, dois filhos, vítima de um acidente de trânsito, e assim minha realidade passa a ser um AMPUTADO.
Retornando do trabalho por volta das 17:00H, de uma segunda – feira (07/05/2019) normal, na BR 101 próximo ao trevo de Forquilhinha (sentido sul), estávamos de moto, eu e um caroneiro, quando um caminhão baú que estava na pista do lado direito passou para nossa pista, tentei desviar, e reduzir tentando evitar a colisão, mas não foi possível!
Bati na mureta e no caminhão, até que de uma forma mágica, o caminhão passou de vez, e eu consegui recuperar o controle da moto, quando parei percebi a fratura exposta no pé esquerdo, o caroneiro que não havia se ferido gravemente me ajudou a sair da moto, liguei para o socorro e fui socorrido pela autopista litoral Sul, e encaminhado ao Hospital Regional em São José.
Cerca de 2 horas do acidente, eu já estava passando por uma cirurgia devido a gravidade da fratura.
A cirurgia foi para remontar o pé esquerdo, e assim outras cirurgias vieram para ligar os tendões, uma bactéria foi detectada e por esse motivo o meu caso que já era complicado piorou de vez!
Meu pé foi necrosando rapidamente e a preocupação era que a bactéria afetasse a corrente sanguínea.
Dia 11/05/2018 foi feita outra cirurgia onde foram amputados dois dedos do pé e toda a carne já necrosada, mesmo assim a bactéria permanecia, uma nova amputação foi marcada, e dia 16/05/2018 foi realizado a amputação na metade da canela esquerda.
Dia 18/05/2018 recebi alta do hospital, retornando em 30 dias para a retirada dos pontos e avaliação médica, estava de alta, vida normal!
Após esse período, eu comecei a correr atrás da prótese, queria retomar minha vida e então comecei agir, com ajuda buscamos brindes, local e divulgação para promover um bingo beneficente onde arrecadei R$ 26.800,00, renda totalmente utilizada para compra de uma prótese, junto com o seguro DPVAT…o bingo ocorreu em outubro, e em novembro, já estava de prótese passando pelo processo de adaptação, no decorrer desse processo já estava querendo fazer algo diferente estava tendo uma ótima recuperação, porem só em julho de 2019 foi que eu me encontrei com o esporte na Beira Mar de São José, vi uma equipe do paradesporto treinando, e conversando com eles, ingressei aos treinos, ainda com a prótese provisória, iniciei no atletismo, fazendo lançamento de disco, dardo e arremesso de peso gostei muito da experiência já pensava além!
Agosto de 2019, finalizei meu tratamento, voltando com a prótese pronta me sentindo mais seguro e confortável. Participei de uma corrida de rua, a 1° da minha vida, no dia 29/10/2019.
Ganhei minha primeira medalha, medalha da SUPERAÇÃO.
Através do Instagram, eu soube do 2° desafio SICOOB, entrei em contato com o organizador do evento, Eduardo Marcondes de Mattos, fui presenteado com cortesias para a corrida de 5km.

Screenshot_20191205-211409_1

A largada foi no Beira mar shopping, passando pela avenida Beira Mar, subindo o Morro da Cruz e chegando na sede da Rictv.
A prova foi uma vitória para mim, pois nunca havia participado de uma corrida na vida… agora de prótese eu já completava minha primeira corrida de rua 5km em 41:19 minutos, sem ter ao menos treinado, foi gratificante, em todo percurso conforme eu passava ou passavam por mim as pessoas sempre com palavras e gestos de incentivo para continuar também agradecendo por eu estar ali, um exemplo de superação.
Em seguida participei do PARAJASC de 14 a 18 de outubro de 2019 em Caçador, trazendo duas medalhas de bronze, uma no arremesso de peso e outra no lançamento de dardo, junto a minha equipe (UCA) e treinador José R. Torres, vinha treinando e me preparando para realizar, representando minha cidade.
Descrevo abaixo, a minha 2º corrida, mais uma, de tantas que virão, experiência fantástica!
Corrida pela PAZ, para mim foi pela VIDA, pela inclusão social, pelo amor, solidariedade, essa eu corri ao lado de Airtom, como guia da cadeirante Danyelle, de Santo Amaro da imperatriz SC, essa corrida foi especial, porque enquanto estava competindo no ParaJASC ( jogos abertos catarinense paradesporto ) recebi o convite da Mãe da Danyelle, ela tem um projeto muito legal, PROJETO PERNAS SOLIDÁRIAS… então a grande surpresa no final subimos no Pódio, ficamos em 1° lugar, não pelo pódio, mas por saber que unidos somos mais fortes, e meu desejo de deixar algo de positivo para sociedade começa a acontecer.

Screenshot_20191205-211353_1
Agora na (UCA) meu treinador começou a me preparar para competir também em corridas não só no atletismo.
Eu quero continuar competindo, não só essas modalidades, como outras que ainda estou descobrindo, como jiu-jitsu, bicicleta, entre outras… antes do acidente sempre fui bem ativo, mas não praticava esportes, era trabalho, e uma bola com a rapaziada uma vez na semana, porem iniciando no paratletismo tive a oportunidade de competir e me encontrei.
Eu quero me dedicar mais ao esporte, e poder me tornar um atleta paralímpico, mais além dos gastos de um atleta tem um fator a mais que é a prótese e sua manutenção.
Para realizar esse desejo, preciso de parceiros, amigos, colaboração. Equipamentos, academia, Nutrição, transporte, tudo que faz parte do universo de um Paratléta!

 Instagram: https://www.instagram.com/rodrigo.camargo_paratleta/?hl=pt-br

Ad