“A Corrida Move a Minha Vida”
EDC1942KFA1580

Quando eu corria 75 metros livre, não imaginava que me tornaria uma maratonista. Mas tudo na vida vem e vai de uma forma que sempre nos surpreende. Eu conheci a corrida quando era adolescente no colégio. Fazia várias modalidades no atletismo e o máximo que fazia era um 1km, em pista. E já era muito para aquela época. Mas a paixão por correr já tocava meu coração. Acho que nasci pra correr.

O tempo no atletismo não foi muito, uns 4,5 anos. Mas foi uma experiência maravilhosa, com conquistas em jogos estudantis e até participação em um estadual. Depois, os estudos acabaram ocupando mais tempo e tive que fazer escolhas. E lá se foram 17 anos sem correr. Uma eternidade se for parar para pensar, como fiquei tanto tempo longe deste esporte que já fez muito por mim.

Meu retorno à corrida foi aos poucos em 2008, alguns meses depois que conheci meu treinador, Paulo Domingos, da Sprint Assessoria Esportiva. E assim como todo mundo, iniciei de forma gradativa, entre caminhada e corrida, até me sentir segura para fazer a primeira prova: 7km na Meia Maratona de Blumenau, em novembro de 2009. E foi uma sensação maravilhosa, daquela que a gente quer sentir sempre mais. Definitivamente foi lá que o bichinho da corrida me mordeu. A segunda prova já foi a maior do Brasil: São Silvestre, em São Paulo, menos de dois meses depois da estreia em corridas de rua. 

FAJR19MMBNAU12154

E foi em 31 de dezembro de 2009 que acendeu a minha paixão pela prova mais divertida do país. Tem gente que não entende, mas já fiz oito vezes e pretendo fazer sempre que possível. A energia da São Silvestre é sem igual. Terminar o ano correndo e começar o novo ano na Avenida Paulista é o que me fortalece cada vez mais. Pra mim, a virada acontece quando cruzo a linha da chegada, ainda pela manhã. 

A corrida me move. Já me deu tantas alegrias que jamais penso em um dia parar com tudo isso. Muito pelo contrário. Cada vez projeto mais desafios, sonho mais e busco realizar todos com muita força e determinação. 

Correr, independentemente da distância, é algo que mexe demais comigo. É uma explosão de sentimentos, de sensações, algo que pra mim, não tem comparação. Talvez porque até hoje, não tenha vivido nada mais forte do que completar uma prova longa, principalmente quando é aquela que você planeja com antecedência porque vai se desafiar pela primeira vez.

Lembro muito bem dos meus primeiros 21km. Uma distância que quando decidi fiz de tudo para viver e realizar o melhor sonho. E assim foi. A estreia foi na Meia Maratona de Floripa O2, em junho de 2014. Quanta emoção do início ao fim. Vendaval antes da largada, chuva durante e rios de lágrimas com a medalha na mão. 

Esses 21km foram o início de uma outra grande paixão: as longas distâncias. Quatro meses depois, eu já estava correndo a minha segunda meia maratona e aí, não parei mais. As provas menores foram ficando para trás para me dedicar aos treinos e as provas de 21km. Tenho muito orgulho e carinho por cada uma que fiz. Acabei de completar a minha trigésima meia maratona. Outro feito que não imaginava que um dia alcançaria. Até porque a corrida foi tomando conta da minha vida e fazendo parte dos meus melhores momentos. Foi algo que fluiu ainda mais, depois que comecei a viajar para correr.

FTV19WLW2597

E isso me fascina demais. Já corri por várias cidades do Brasil. Fui a lugares que sempre quis conhecer, porque a corrida me deu esta oportunidade. Se não fosse o esporte, talvez estaria aqui, ainda planejando visitar cada uma delas. 

Mas e a maratona? Como entrou na sua vida? Fiz 14 meias maratonas até fazer meus primeiros 42km. Confesso que não foi algo sonhado até então. Mas fui desafiada sem saber, numa conversa com o meu treinador que me disse que eu estava na hora de realizar meu sonho de fazer uma maratona. A minha reação foi: Oi? Como assim? Eu? Maratona?. Mal eu sabia o quanto me faria bem. 

A partir dali esse desafio foi tomando conta dos meus pensamentos. E um ano depois, eu estava cruzando o pórtico da Maratona de Porto Alegre. Era 11 de junho de 2017. Um domingo frio e ensolarado. Eu estava realizando o meu maior e mais intenso sonho de corredora. Me tornei maratonista, e uma mulher mais forte, mais determinada, disciplinada e comprometida. Porque a maratona me dá tudo isso. E acho que é isso que me faz ter tanto amor por essa distância. Amor que no outro dia da estreia me fez planejar a segunda prova de 42km. Eu queria viver tudo aquilo de novo, passar por um novo ciclo de treinos longos e intensos. 

Correr uma maratona não é a parte mais difícil. Porque o dia da prova, é a coroação de tudo o que se passa para estar ali. O desafio maior é cumprir a planilha adaptando a rotina de trabalho e outros compromissos. E mesmo sendo, de uma certa maneira cansativo, principalmente quando a data da prova se aproxima, o treinamento para uma maratona me completa. É quando encontro minha melhor versão. 

E na minha história de corredora já são quatro provas de 42km. Em junho de 2018, fiz a Maratona do Rio de Janeiro, em outubro do mesmo ano, a Maratona de Frankfurt, na Alemanha (outubro/2018) e em junho de 2019, a Maratona de Floripa.

A vontade de me desafiar só aumenta. Termino uma maratona já pensando em quando será a outra. E a próxima já tem data: 22 de setembro deste ano. A Maratona de Buenos Aires será meu quinto desafio. Prova que era pra ser minha estreia nos 42km, em outubro de 2016. 

Já são mais de 10 anos correndo. Nesse tempo, vivi dias incríveis, experiências espetaculares, emoções indescritíveis e sensações maravilhosas. Corri provas que me fortaleceram, me fizeram crescer como pessoa e atleta, e me ensinaram muitas coisas, que só quem corre sabe. Viver nesse mundo da corrida é bom demais. Quero poder usufruir de tudo o que ele proporciona por muitos e muitos anos.

Seja falar ou escrever… unir a minha profissão (jornalista) com a minha paixão pela corrida é sensacional. Adoro compartilhar minhas vivências e aprender com os amigos corredores. Então bora me seguir e trocar experiências? 

https://www.instagram.com/sabineweilerjornalista/?hl=pt-br Te espero lá no instagram! 

Bons treinos e felizes corridas!

Sabine Weiler

Jornalista e Corredora

Ad