“Anticoncepcional e Performance Física”
anticoncepcional-e-trombose-1024x678

Você sabia que o uso de anticoncepcionais pode atrapalhar na performance física de mulheres?
Principalmente as atletas?
Fácil de usar e considerada de alta eficácia, a pílula anticoncepcional é a escolha da grande maioria das mulheres quando o assunto é a prevenção da gravidez, controle da acne e regulação do ciclo menstrual.
Porém essas pílulas podem conter estrogênio e progestina, progesterona sintética ou apenas progestina.
Esses hormônios por sua vez inibem a produção natural de testosterona da mulher, o resultado disso é que muitas mulheres, literalmente “se matam de malhar” e não conseguem construir músculos, e o pior acabam retendo liquido, dando a impressão que seus esforços são em vão.
Em 2009, pesquisadores da Universidade Texas A & M apresentaram os resultados de um estudo para determinar se os contraceptivos orais têm um impacto negativo na capacidade de uma mulher desenvolver músculo.
No estudo, 73 mulheres entre 18 e 34 anos completaram 10 semanas de treinamento de resistência.
Aproximadamente metade das mulheres que participaram estavam tomando pílulas anticoncepcionais no momento do estudo, os pesquisadores concluíram que o grupo que estava tomando a pílula desenvolveu 40% menos massa muscular do que o grupo que não estava tomando a pílula.
O fisiologista físico Chang Woock Lee, um dos pesquisadores envolvidos no estudo, atribui a diferença na capacidade de construir músculos pelo o uso de anticoncepcionais orais.
Outro ponto a se destacar na baixa performance física, que as pílulas anticoncepcionais também causam deficiências nutricionais no organismo, isso porque para o corpo metabolizar a pílula, o fígado requer quantidades extras de vitaminas do complexo B (principalmente B12), vitamina C, magnésio e zinco, isso diminui a energia das mulheres.
Os sintomas mais comuns de deficiência de complexo B em mulheres que usam a pílula além da falta de disposição, são pernas cansadas e pesadas, memória ruim, sono agitado e não reparador, formigamento nas mãos e pés, queda de cabelo e quebra de unha.
Isso significa que a mulher que toma a pílula durante anos, corre mais risco de sofrer com as deficiências destes nutrientes.
Hoje para as mulheres que continuam tomando as pílulas, a nutrição utiliza de alguns artifícios para diminuir os efeitos nocivos do anticoncepcional: introdução de fitoterápicos pré-hormonais (melhora da libido sexual); suplementação de complexo B, zinco e magnésio; controle da saúde intestinal; controle do ganho de peso, melhora da energia e disposição, melhora da qualidade alimentar; dietoterapia funcional e aporte nutricional de antioxidantes para processo de desintoxicação hepática.
Procure o profissional de sua confiança para que seja elaborada um plano alimentar individualizado.

Fonte da Matéria: Sendy Speck

https://www.instagram.com/nutrisendyspeck/?hl=pt-br

Sessão-do-Studio-037